Infraestrutura e Logística - Paraná Edificações

08/08/2017

Centro de Especialidades em Londrina atenderá 21 municípios

As obras do novo Centro de Especialidades do Paraná, em construção em Londrina, estão 55% executadas. Os dados são da equipe de engenharia da Paraná Edificações, que acompanha e fiscaliza os trabalhos. Mais de 30 operários trabalham no revestimento do prédio e na infraestrutura da rede elétrica do local, que atenderá moradores de 21 municípios da região. O investimento do Governo do Estado é de R$ 6,9 milhões, viabilizados pela Secretaria de Estado da Saúde.

A obra é uma ampliação de estrutura onde funciona o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar). Previsto para ser entregue no primeiro semestre de 2018, o centro oferecerá tratamento em áreas médicas ainda não atendidas, ampliando em mais de 35% a capacidade de operação do local.
De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, as obras passam por uma fiscalização minuciosa. “A equipe de engenharia da Paraná Edificações acompanha diariamente a execução das obras para que todos os serviços sejam executados conforme previsto no projeto. É uma estrutura que vai agregar novos serviços médicos essenciais para a população da região”, afirma.

NOVOS SETORES – Entre as novas especialidades previstas estão os serviços de diagnose em ressonância nuclear magnética, tomografia computadorizada e eletroneuromiografia. Também serão implantadas a Unidade de Atenção às Condições Crônicas e Unidade de Detecção Precoce do Câncer.

São 3.555 metros quadrados de área construída divididos em quatro andares – são dois subsolos para estacionamento e dois pavimentos para o atendimento da população.

ATENDIMENTO OTIMIZADO - Após a conclusão das obras, o Centro de Especialidades do Paraná vai iniciar um novo processo de trabalho no âmbito da saúde para toda a região. Denominado Consulta Única, o projeto prevê sincronizar os atendimentos para que sejam feitas consultas, exames e condutas terapêuticas no mesmo dia, otimizando o atendimento à população e os custos operacionais.

A estimativa é que as medidas beneficiem 950 mil moradores dos municípios de Alvorada do Sul, Assaí, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Cambé, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã, Jaguapitã, Jataizinho, Londrina, Lupionópolis, Miraselva, Pitangueiras, Porecatu, Prado Ferreira, Primeiro de Maio, Rolândia, Sertanópolis e Tamarana.

Localização
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.